Month: setembro,2017
Phi na prática: contabilidade

Phi na prática: contabilidade

setembro 27, 2017 By instituto-phi

A contabilidade pode parecer um assunto complicado, mas uma vez que está inserida no dia-a-dia torna-se fácil. Essa é uma ferramenta de transparência indispensável, tanto para conhecimento interno do que acontece na instituição, quanto para que pessoas de fora possam confiar no trabalho.

Existem regras e padrões internacionais para fazer a contabilidade, seja de empresas, governo ou projetos sociais. É necessário adotar essa linguagem universal para que pessoas de diferentes lugares possam entender a prestação de contas.

Além desse padrão, existem práticas que podem estar inseridas na rotina para facilitar os processos contábeis mais burocráticos. E são essas práticas que compartilhamos aqui.*

Em primeiro lugar, funciona muito ter contas bancárias separadas para gastos administrativos e de projetos. É um jeito prático de ter melhor controle das entradas e saídas dos recursos e assim o controle contábil também é facilitado.
 
Fazemos o fechamento de registros das entradas e saídas dos recursos do mês até o 5º dia útil, ou dia 05 do mês seguinte (se tiver pouco movimento). Ter uma data fixa mensal para checar todos os registros cria em toda a equipe o hábito de organizar a contabilidade, no mínimo, mensalmente, sem acumular trabalho e facilitando tarefas – tais como lembrar o que significa cada um dos recibos do mês.

Para dúvidas do do dia-a-dia, que fatalmente surgem, buscamos orientação com um escritório de contabilidade/contador de confiança.

Phi na prática: orçamento anual

Phi na prática: orçamento anual

setembro 20, 2017 By instituto-phi
Números, planilhas, controles e orçamento: palavras que fazem parte do nosso dia-a-dia! Irmão siamês do planejamento de atividades, o orçamento anual é uma forma de prever e controlar todos os gastos que acontecerão na organização no ano seguinte. E esse é o tema de hoje no 2º post da série “Phi na prática”.
Cada organização planeja o orçamento de uma forma diferente, dentro das suas possibilidades e necessidades. Já o seu acompanhamento ao longo do ano de execução é um parâmetro para que o gasto não fuja do planejado. 
O planejamento ideal que seguimos no Phi é o seguinte:
  • Iniciamos o planejamento do orçamento em setembro/outubro para ter tempo de revisar com a equipe, fazer ajustes de acordo com as nossas prioridades e validar tudo até o ano terminar;
  • Para elaborar o orçamento, fazemos todo o planejamento do ano seguinte: as atividades que queremos realizar, os eventos e cursos que pretendemos participar, o aumento de salários e de pessoas.

Para acompanhar o orçamento ao longo do ano:
  • Acompanhamos os gastos mensalmente através de planilhas;
  • Comparamos o realizado do mês com o orçado planejado e a porcentagem de desvio;
  • Geralmente, analisamos os desvios de mais ou menos 5% com um pouco mais de cuidado para entender se houve falha no orçamento ou se o gasto somente foi postergado.

Já para gastar com mais eficiência e reduzir os gastos previstos,
Phi na prática: comunicação nas redes sociais

Phi na prática: comunicação nas redes sociais

setembro 6, 2017 By instituto-phi
Hoje começamos a série “Phi na prática”. Semanalmente vamos postar sobre algum processo do Phi – como administramos as redes sociais ou elaboramos o orçamento anual, por exemplo. A ideia aqui é compartilhar um pouco do que fazemos internamente, estimulando uma troca de práticas entre os projetos, que acreditamos ser ótima para o setor 🙂   Vamos ao tema do dia: comunicação nas redes sociais.   O Facebook e o Instagram são ferramentas muito importantes para tornar uma iniciativa conhecida e, no limite, captar recursos. Por serem gratuitos, ambos canais permitem, sem custos, que você esteja em contato permanente com o público.Ainda que elas não substituam formas presenciais de relacionamento, permitem uma escala insubstituível.   Engana-se, porém, quem pensa que basta colocar no ar uma página do Facebook ou do Instagram. O mais importante é que elas sejam bem exploradas, de forma a atrair atenção e interesse do público. Mas como explorar esses canais?   Esta foi uma pergunta que também nos fizemos – e nos fazemos! – inúmeras vezes. Parte das respostas às quais chegamos foi observando o que outras organizações já fazem. Segue um pouco do que adotamos:   No Facebook postamos uma vez por dia (no mááááximo duas)! Os usuários não gostam de ter uma única página lotando seu feed com várias postagens, por isso evitamos colocar mais de dois conteúdos diários. Por outro lado, ficar um longo tempo sem nenhuma novidade poderia passar a impressão de que a página está abandonada.