Editais para que te quero

julho 5, 2017 By instituto-phi

Os editais são poderosas ferramentas de captação de recursos para o Terceiro Setor. Muitas empresas, públicas e privadas, nacionais ou internacionais, negócios sociais e fundações estão sempre abrindo portas para financiar projetos que contribuam com a sociedade. Alguns editais são temáticos, selecionando projetos específicos. Os temas variam muito de acordo com o objetivo da empresa responsável pelo financiamento, como direitos humanos, cultura e sustentabilidade.

 

Grande número de organizações não governamentais, no entanto, não participa desses editais. Mas se o acesso à internet é tão fácil hoje, por que deixam de participar das seleções? Simplesmente porque não têm uma pessoa que se dedique a pesquisar e selecionar os possíveis editais que estariam alinhados com seus objetivos. Além disso, nem sempre o edital ou a apresentação do projeto são simples. É preciso ter uma pessoa que escreva razoavelmente bem para fazer a inscrição.

 

Luiza Serpa, diretora-executiva do Instituto Phi, que faz a ponte entre quem quer fazer uma doação eficiente e projetos sociais de qualidade, dá uma sugestão: “Se os funcionários da entidade não estão aptos para essa tarefa, que tal pedir ajuda a um voluntário?”.

 

Luiza ressalta que, com a crise econômica, houve queda no número de editais, mas eles ainda são muitos.

 

“Consulados e embaixadas, por exemplo, estão sempre selecionando projetos sociais para financiar”.

 

Um canal interessante para ter acesso aos diversos editais que estão sempre abertos é o Prosas. O site disponibiliza permanentemente uma compilação das oportunidades abertas, aberviando o trabalho de revirar a internet e ir a sites de empresas. Você pode ir ao Prosas clicando aqui!

 

Este ano, o Instituto Phi firmou uma parceria com o Instituto Rio, fundação comunitária criada com o objetivo de fortalecer a Zona Oeste do Rio de Janeiro, e passou a ser o gerenciador do Edital 2017 Vera Pacheco Jordão, de apoio às atividades da Universidade Comunitária da Zona Oeste, realizado desde 2003. O número de inscritos superou muito a média dos anos anteriores, que era de 60.

“Foram 115 inscritos este ano. Doze iniciativas são selecionadas para receber, cada uma, R$ 24 mil. Eles participaram de uma capacitação e a próxima etapa será a de implantação dos projetos.”, conta Luiza.